terça-feira, agosto 16, 2011

Autoestima começa cedo!



Razão e emoção, os fundamentos da autoestima

   Sugere-se recordar sobre o principal significado da autoestima. É a confiança na eficiência da nossa mente, em nossa capacidade de aprender, de fazer escolhas e tomar decisões apropriadas e lidar com mudanças.
   Acredita-se na existência de duas mentes. Uma que se emociona, sente, comove, adapta. Outra que compreende, analisa, pondera, reflete.
   O psicólogo Goleman (1995) após intensa pesquisa científica, afirmou que se é impulsionado pela emoção, cujo controle é essencial para o desenvolvimento da inteligência do indivíduo.
    A emoção está para a razão assim como o prazer está para o aprendizado.
  A autoestima é a ferramenta que movimenta os estímulos para gerar bons resultados.
     A autoestima exige assertividade.

A construção da afetividade  à  autoestima segundo Henri Wallon

        O modelo de análise ao pensar o desenvolvimento humano, foi desenvolvido por Wallon (1981) que estudou-o a partir da ênfase dada ao desenvolvimento psíquico da criança Wallon (1981) realiza um estudo que é centrado na criança contextualizada, onde o ritmo no qual se sucedem as etapas do desenvolvimento é descontínuo.
       Wallon (1981) propõe a psicogênese da pessoa completa, ou seja, o estudo integrado do desenvolvimento considera o sujeito como “geneticamente social” segundo ele é preciso  estudar a criança contextualizada  observando os aspectos: afetivo, motor e cognitivo.

              Apresenta as fases de desenvolvimento psíquico da criança:
                                                       
-Personalista: inicia no primeiro ano de vida pela interação com os objetos e seu próprio corpo e no terceiro ano de vida inicia o conflito eu-outro, 
onde se opõe a tudo que julga diferente e que venha do outro.
-Socialização:compreende o período dos seis aos sete anos, onde a educação se torna obrigatória. Não pertence mais unicamente ao grupo familiar. Começa a fazer parte  de grupos diferentes.

No caso da criança, no qual entre ela e o objeto a conhecer existe um mediador, geralmente na pessoa de um adulto que ensina, a calidez da veiculação afetiva entre eles catalisa poderosamente a reação que resulta na apreensão do objeto pelo sujeito (DANTAS, 1990).

         Percebe-se  que é fundamental lembrar da disciplina como necessária para se evitar as futuras perturbações de caráter, mas que tem, na sala de aula, um espaço adequado para ser trabalhada.
     É equivocado pensar em um padrão de postura que garanta toda atenção em qualquer atividade, pois, muitas vezes, é a variação na posição do corpo que propicia melhor e maior atenção na atividade que a criança está realizando. Percebe-se que, ao longo do desenvolvimento da criança, que uma série de fatores contribuem para sua formação enquanto ser social.

        ...Refletindo...

v   Acredita-se que a maioria dos professores quer dar sua contribuição  positiva às mentes confiadas a seus cuidados.

v   Se às vezes prejudicam, não têm intenção de fazê-lo.

v   As crianças observam seus professores em parte para aprender o comportamento adulto apropriado.

v   Considera-se que a aprendizagem ocorre com o que  é vivido.

v   Para estimar-se é preciso que se tenha sido aceito, querido e valorizado. 

v   A autoestima é algo que pode ser aprendido.

     Recomenda-se não como um receituário, mas como um roteiro de sugestões, para compreender  que a criança  sente-se amada quando:
    -Precisa de consolo e encontra braços abertos: mãos que lhe acariciam o joelho ferido ou enxugam suas lágrimas, quando está triste ou de mau humor;
          -Ouve uma história aconchegada no colo, recebendo carícias;
          -O tom de voz lhe é agradável e suave, produzindo-lhe um ambiente sereno e sem tensão. As frases ditas (“-Gosto de você!” “-Amo você”) talvez lhe sejam a melhor coisa;
          -Não é comparada a outra, mas se aceita como é (Quando preciso, diga-lhe que não aprova ou não gosta de certas coisas que ela faz, mas deixe claro que gosta sempre dela);
          -A criança observa o seu modelo, por isso procure sorrir sempre e cuidar do seu modo de agir diante dela
          -Procure ser justo;
          -Saiba dizer não, os limites devem ser colocados desde cedo;
         -Ofereça-lhe segurança e não lhe negue a mão. Que ela assim não tenha medo, face às novas experiências que lhe são propostas. Quanto mais coisas ela realiza, mais segura se sente.
         -Se necessário, não tema incentivá-la a brincar com outras crianças, fazendo com que se relacione com pessoas diferentes. E a frente destas, que nunca se sinta envergonhada, nem ridicularizada.


                  Texto de Rosangela L. Scheuer - 2001

Um comentário:

  1. parabéns pelo texto. É muito bom. bjs e obrigada por seguir meus blogs. Sucesso sempre

    ResponderExcluir

Olá!Deixe seu comentário.
É muito importante e faz diferença!
Conte comigo!
Obrigada pela visita!

Parcerias Especiais!

http://www.contosearte.com/

Virginia Maria Pereira da Rocha


http://www.pedagogiadascores.com.br/

Solange Depera Gelles



EU em ENTREVISTA- Educadores Multiplicadores!

Arquivo de POSTAGENS:

Mimo no BONIFRATI...



Usando a criatividade,
todo mundo pode pensar diferente.
Que 2 + 2 são dois patinhos.
E até detrás para frente.
Se permitir criar,
Tudo pode mudar.

Seja arte, escrita, música.
Receita, caminho, solução.
O que importa é pôr a mente para funcionar
e dar à luz a imaginação

Melhor ainda, se arriscar.
Tomar coragem e compartilhar.
Deixar vir ao mundo e ao mundo mostrar.

Nada que fica na gaveta,
pode trazer boas coisas para o planeta

Abra a sua caixa secreta.
E mergulhe na mente, a sua biblioteca.
Criar é concretizar ideias.

Linguagem Escrita!

"...a escrita deve ter significado para as crianças, uma necessidade intrínsica deve ser despertada. Nelas, a escrita deve ser incorporada a uma tarefa necessária e relevante para a vida. Só então poderemos estar certos de que ela se desenvolverá não como hábito de mão e dedos, mas como uma forma nova e complexa de linguagem".
Vygotsky.

Professores!

A arte torna o trabalho educativo interessante, atraente e sedutor. Para tornar os alunos mais sensíveis e despertá-los para um mundo novo de sensações, o talento e a flexibilidade do professor, da sua arte, dependerá o êxito da sua missão.

Alegria....alegria!

ALFABETIZAÇÃO

O processo de alfabetizar é apaixonante,
antes de tudo é um ato de amor,
coragem e persistência. Pelo simples e
talvez o mais gratificante fato
de permitir ao ser pensante a liberdade
de construção da sua própria história.






CONSULTE o IDEB 2014.É só clicar no selinho ou no link.Conte comigo!

SELINHOS 2012! Obrigada!

Da amiga Leila Bambino!

Glitter Photos
Ganhei da amiga Claudia! Obrigada.
Glitter Photos
Da amiga GISELA.Obrigada!
Da amiga Viviane,Obrigada!
SELINHO A RECEBER... selo4 Glitter Photos Glitter Photos
Selinho pra você!Glitter PhotosSelinho Amigo a todos os Parceiros do Blog "Educando Com Amor"...
Selinho Compartilhado
da Parceira BIA!
Espaço para Educação
Obrigada Amiga Gracita!
Obrigada Amiga Adriana!

Seguir por e-mail

Torcedora FELIZ! Bom D +!

TORCEDORA APAIXONADA!

Vida Divina! Vida Cotidiana!

Kids
See full size image Imagem15 300x183 A ESCOLA DE ATENÇÃO ÀS DIFFERENÇAS

Orar...refletir...imagens que dizem!

ORAÇÃO pela Saúde:
Senhor Deus de amor,Pai de bondade,nós vos louvamos e agradecemospelo dom da vida,pelo amor com que cuidais de toda a criação.Vosso Filho Jesus Cristo,em sua misericórdia, assumiu a cruz dos enfermos e de todos os sofredores,sobre eles derramou a esperança de vida em plenitude.Enviai-nos, Senhor, o Vosso Espírito.Guiai a vossa Igreja, para que ela, pela conversão se faça sempre mais, solidária às dores e enfermidades do povo,e que a saúde se difunda sobre a Terra.Amém.






Gratidão e Interação!